terça-feira, 20 de janeiro de 2009

. Manhã De Setembro .

Em uma manhã de Setembro, acordei mais cedo que o normal. Às 8:30h da manhã. Calcei minhas pantufas de leão – que tenho desde os 10 anos de idade –, escovei os dentes e desci para a cozinha.

Preparei meu café da manhã: uma xícara de café forte, meio amargo, e algumas torradas com pasta de soja. Liguei o rádio, na minha estação preferida, e meu corpo amoleceu com a melodia suave que eu estava ouvindo.

Eu sei que vou chorar,
A cada ausência tua eu vou chorar.
Mas, cada volta tua há de apagar,
O que esta ausência tua me causou.*

Fiquei ali, parada, na frente do rádio deixando aquela doce melodia me levar para bem longe... Quando percebi, estava na praia de Copacabana, com Alfred. Durante alguns minutos caminhamos lado a lado, sem dizer qualquer palavra.

Após 5 minutos de caminhada, ele segurou minha mão e se pôs a acariciar meus dedos. Sorri e ele devolveu-me o sorriso, porém com um brilho que apenas ele era capaz de doar em um sorriso.

Corri em direção ao mar, e Alfred foi logo atrás de mim. Meu vestido cor rosa claro, na altura do joelho, a essa hora já estava um pouco acima, devido ao forte vento que soprava. E Alfred notou isso. Lançou para mim um sorriso que mais parecia um aviso.

Sentei, então, a poucos centímetros das ondas, admirando o lindo céu azul e o modo como as ondas iam e vinham. Alfred sentou-se ao meu lado, e passou seus braços pelos meus ombros. Ele estava mais que envolvendo-me em seus braços: estava convidando-me a acariciá-lo de alguma forma. Era o jogo que só ele sabia fazer tão bem.

Passei meu braço direito pela sua cintura, prendendo-o com um laço carinhoso e que ele tanto gostava, eu sabia bem. Repousei minha cabeça em seus ombros, e fechei meus olhos para sonhar.

Quando percebi que já estava sonhando, sentei em meu sofá, e abracei minhas pernas. Sorri só de lembrar de quão doces eram as lembranças de Alfred. De quão vivo ele estava dentro de mim. Isso ninguém poderia me tirar.


*Eu sei que vou te amar - Vinícius de Moraes e Tom Jobim.

2 comentários:

Thiago disse...

Quando percebi, estava na praia de Copacabana, com Alfred.


Saiu com o mordomo do Bruce Waine (batman)?

Mr. Ziggy disse...

Do sonho à realidade ou da realidade ao sonho? Lindo esse seu texto! A cada dia você vem desevolvendo mais e mais esse seu dom lindo. Meu orgulho, você! Beijos,
Tio